Número total de visualizações de página

domingo, 6 de fevereiro de 2011

AS 7 MARAVILHAS DE PORTUGAL (ELEITAS) PARTE 4...

Bom dia, Boa tarde, Boa noite....
E lá vamos nós....mais um início de semana com muita informação e boa disposição. Como de costume e para começarmos bem a semana, vamos falar das "Coisas de Portugal" , como já temos vindo a divulgar, as SETE MARAVILHAS ELEITAS DE PORTUGAL! Hoje, conheceremos um pouquinho mais sobre a TORRE DE BELÉM...
A Torre de Belém é um dos monumentos mais expressivos da Cidade de Lisboa. Localiza-se na margem direita do Rio Tejo, onde existiu outrora a praia de Belém. O monumento se destaca pelo nacionalisamo implícito, visto que é todo rodeado por decorações do Brasão de Armas de Portugal, característica essa que remonta principalmente a arquitetura típica de uma época em que o País era uma potência global (a do início da Idade Moderna). Classificada como Patrimônio Mundial pela UNESCO em 07 de Julho de 2007, ocasião esta em que foi eleita uma das sete maravilhas de Portugal.
Originalmente sob a invocação de São Vicente de Saragoça, padroeiro da Cidade de Lisboa, designada no século XVI pelo nome de Baluarte de São Vicente a par de Belém e por Baluarte do Restelo, esta fortificação integrava o plano defensivo da barra do Rio Tejo projetado a época de Joaõ II de Portugal (1481-95), integrada na margem direita do Rio pelo Baluarte de Cascais e na esquerda pelo Baluarte da Caparica. A estrutura só viria a ser iniciada em 1514, sob o reinado de Manuel I de Portugal (1495-1521) tendo como Arquiteto, Francisco de Arruda. Localizava-se sobre um afloramento rochoso nas águas do rio, fronteiro à antiga praia de Belém e destinava-se a substituir a antiga nau artilhada, ancorada naquele trecho, de onde partiam as forças para a Índia. Concluida em 1520, foi seu primeiro Alcaide, Gaspar de Paiva, nomeado para a função no ano seguinte. Com a evolução dos meios de ataque e de defesa, a estrutura foi gradualmente perdendo a sua função defensiva original. Os seus paióis foram utilizados como masmorras para os presos políticos durante o reinado de Filipe II de Espanha (1580-1598)e mais tarde por João IV de Portugal (1640-1656). Sofreu várias reformas ao longo dos séculos, principalmente a do século XVIII. Desde 10 de Janeiro de 1907 por decreto, é classificada como Monumento Nacional e em 1983 integrou a XVII Exposição Européia de Arte Ciência e Cultura. O resto, é história!!! Nem preciso dizer-lhes que é um local fascinante e um dos destinos "OBRIGATÓRIOS" para se conhecer aqui em Portugal...

Sem comentários:

Enviar um comentário